Dermatite do calor: o acontece com a pele dos bebês no verão?

No verão, é muito comum os bebês e as crianças aparecerem com algumas “bolinhas na pele” e ficarmos preocupados, sem saber exatamente o que é e o que fazer. A miliária ou brotoeja, como é mais conhecida, é super comum nessa época quente do ano. Saiba como identificar e o que fazer!
10 de Janeiro de 2018

 

Imagem site 5.jpg

 

Dermatite do calor: o acontece com a pele dos bebês no verão?

 

 

 

No verão, é muito comum os bebês e as crianças aparecerem com algumas “bolinhas na pele” e ficarmos preocupados, sem saber exatamente o que é e o que fazer. A miliária ou brotoeja, como é mais conhecida, é super comum nessa época quente do ano. Saiba como identificar e o que fazer!

 

 

 

O que é a miliária?

A miliária, é uma dermatite inflamatória devido à obstrução das glândulas sudoríparas, que impedem a saída do suor. É uma doença extremamente comum em bebês, mas pode acometer crianças e adultos. Pode piorar quando agasalhamos demais o bebê, devido ao suor excessivo e abafamento da pele.

 

 

 

Quais são os sintomas?

A miliária pode variar desde bolhas superficiais a pápulas vermelhas maiores. Algumas formas de erupção de calor podem coçar e incomodar. Ela aparece mais o pescoço, tronco,  axilas e outros locais onde tem dobrinhas (por isso os bebês sofrem mais…). A obstrução da glândula sudorípara não permite que o suor saia, levando ao surgimento de lesões e bolhas, que podem variar o seu aspecto de acordo com o local acometido e com a profundidade na pele que ocorreu o bloqueio do suor.

 

A grande maioria das miliárias costumam desaparecer sozinhas, e aliviam com o esfriamento da pele e medidas que evitem transpiração excessiva, como usar roupas confortáveis e de tecido natural.

 

 

Tipos de miliária

Os tipos de miliaria são classificados de acordo com a profundidade em que os canais de suor ficam bloqueados. Os sinais e sintomas para cada tipo podem variar também, veja abaixo:


A - Miliária rubra ou brotoeja: Ocorre na camada intermediária da pele. As pápulas são vermelhas e inflamadas, e é a forma mais comum. Pode ter prurido associado.


B - Miliária cristalina ou sudâmina: É a forma mais suave de miliária, os canais de suor estão estão alterados na camada superior da pele. Esta forma é marcada por pápulas claras, cheias de líquido, que se desfazem facilmente ao menor atrito ou toque.  As bolhas são pequenas, transparentes e sem sinal de inflamação.


C - Miliaria pustulosa: Acontece quando as vesículas contendo liquido na miliária rubra ficam cheios de pus.


D - Miliária Profunda: É a menos comum. Afeta a derme, a camada mais profunda da pele. O suor extravaza da glândula sudorípara para a pele, causando lesões  mais firmes, semelhante a pápulas vermelhas.

 

Imagem site 2.jpg

A - Miliária Rubra; B - Miliária Cristalina

 

Imagem site 3.jpg

C - Miliária Pustulosa

 

Imagem site 4.jpg

D - Miliária Profunda


 

 

Quais são as causas da miliária? 

Alguns fatores parecem favorecer o bloqueio dos canais de suor da pele, que causam a miliária. Veja alguns fatores abaixo:

 

  • Ductos de suor imaturos do bebê, que podem se romper facilmente.
  • Climas tropical. O tempo quente e úmido favorece a ocorrência de miliária.
  • Atividade física, devido ao exercício intenso e suor.
  • Superaquecimento. Cuidado para não hiperagasalhar o bebê!

 

 

 

O que você pode fazer: 

  • Evite superaquecer o bebê! Use roupas leves, de tecidos naturais e não apertadas.
  • Mantenha o ambiente onde o bebê dorme ventilado e arejado, e não muito quente. O ideal é a temperatura em torno de 24C.
  • Evite banhos muito quentes. O ideal é que a temperatura seja em torno de 35-36C, não use muito sabonete.
  • Pode usar compressas frias nos locais das lesões.
  • Para o tratamento, use pomadas a base de componentes calmantes, como a camomila, que sejam hipoalergênico e o mais natural possível.
  • O uso de lanolina 100% pode ajudar a prevenir o bloqueio do ducto e impedir o aparecimento de novas lesões
  • Evite usar cremes e pomadas que contenham óleo mineral, que podem bloquear mais os poros.
  • Corticóides tópicos podem ser usados nos casos mais graves, porém sempre devem ser indicados pelo médico. Nunca faça auto-medicação!

 

 

Referências Bibliográficas:

 

- Sociedade Brasileira de Pediatria

- Dermatology Atlas