Crítica à ação do governo americano contra o aleitamento materno.

Os pediatras brasileiros, por meio de sua Sociedade (SBP), divulgaram nesta terça-feira (10) nota pública na qual lamentam posição do Governo dos Estados Unidos que adotou postura contra políticas favoráveis ao aleitamento em reunião realizada na Assembleia Mundial da Saúde, em Genebra, na Suíça.
11 de Julho de 2018

Imagem aleitamento materno.jpg

 

Os pediatras brasileiros, por meio de sua Sociedade (SBP), divulgaram nesta terça-feira (10) nota pública na qual lamentam posição do Governo dos Estados Unidos que adotou postura contra políticas favoráveis ao aleitamento em reunião realizada na Assembleia Mundial da Saúde, em Genebra, na Suíça. 


A polêmica surgiu quando ao discutir os termos de nova resolução da Organização das Nações Unidas (ONU) sobre o assunto, os representantes dos Estados Unidos tentaram impedir a inserção de um trecho que recomendava aos governos que limitassem o marketing impreciso ou enganoso de métodos substitutivos da amamentação. Também tentaram excluir a recomendação que pedia às autoridades nacionais para “proteger, promover e apoiar a amamentação".


Apesar de não terem alcançado êxito, para coibir a aprovação de propostas contrárias aos interesses da indústria de fórmulas e alimentos infantis, os representantes dos Estados Unidos teriam chegado a ameaçar outros países com retaliações econômicas e políticas. O posicionamento dos Estados Unidos desconsidera quatro décadas de estudos científicos que comprovam a importância do aleitamento na prevenção de doenças e na redução da mortalidade infantil, entre outros pontos.


Estimativas recentes sugerem que a amamentação, se fosse ampliada para níveis universais, poderia prevenir cerca de 12% das mortes de crianças menores de cinco anos de idade a cada ano, ou cerca de 820 mil mortes em países de média e baixa renda. Além disso, o aleitamento exclusivo até os seis meses de idade tem sido um importante agente de prevenção de doenças e de promoção do desenvolvimento saudável das novas gerações.


Os pediatras esperam que o Brasil, às vésperas do Agosto Dourado, mês consagrado pelo Estado Brasileiro à promoção do aleitamento, não siga o mau exemplo dos Estados Unidos. Pelo contrário, é hora das nossas autoridades demonstrarem que o País está compromissado com a saúde de todos e com a modernidade.

 

- Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP)