ALERTA SARAMPO: É PRECISO VACINAR!

O Brasil se encontra novamente em estado de alerta contra o Sarampo. Os estados de Roraima e Amazonas enfrentam um surto e por conta disso declararam estado de emergência em razão dos mais de 500 casos confirmados. Em outros estados brasileiros, já foram confirmados casos isolados.
16 de Julho de 2018

 

sarampo foto.jpg

 

O Brasil se encontra novamente em estado de alerta contra o Sarampo. Os estados de Roraima e Amazonas enfrentam um surto e por conta disso declararam estado de emergência em razão dos mais de 500 casos confirmados. Em outros estados brasileiros, já foram confirmados casos isolados.


O sarampo estava sobre controle no Brasil desde 1990, mas os estados brasileiros não estão conseguindo atingir a meta de vacinação ideal para a população. Além disso, a imigração de pessoas vindas de países onde a doença ainda é endêmica, aumenta ainda mais o risco de disseminação da doença.


Sarampo é uma doença infecciosa aguda, extremamente contagiosa, transmissível e causada por vírus. Os principais sintomas são: febre acompanhada de tosse persistente, irritação ocular e corrimento nasal, manchas avermelhadas no rosto que progridem em direção aos pés e manchas brancas na parte interna das bochechas, fora esses sintomas primários o sarampo ainda pode causar infecção nos ouvidos, pneumonia, convulsão, diarreia, e em casos mais graves lesão cerebral e morte.


A transmissão se dá pela tosse, espirros, fala e até mesmo através da respiração, isso explica a facilidade de contágio da doença e sua rápida propagação. O período de incubação (tempo entre o contágio e o aparecimento dos sintomas) é de cerca de 12 dias.


A única forma de prevenção possível contra o vírus do sarampo é a vacina. A vacina tríplice viral, que protege contra o sarampo, a caxumba e a rubéola, deve ser tomada aos 12 meses. Aos 15 meses, é a vez da tetraviral, que além das doenças anteriores também protege contra a varicela. Não existe vacina contra o sarampo de forma isolada.
Quem não tomou a vacina na infância, pode receber as duas doses (com intervalo de 1 mês) até os 29 anos. Dos 30 aos 49 anos, basta apenas uma dose. A partir dos 50 anos, não precisa se vacinar. Quem já teve sarampo também já está protegido. 


Os bebês acima de 9 meses podem receber a vacina, abaixo dessa idade não há resposta vacinal. Tomando a dose aos 9 meses a segunda dose será com 1 ano e o reforço com 15 meses. Em casos extremos, como surtos, bebês podem tomar a vacina a partir dos 6 meses de idade, essa dose entra como extra.


Quem não pode vacinar: gestantes, bebês com menos de 6 meses de idade e pessoas imunocomprometidas. Quem está tentando engravidar, deve aguardar pelo menos 1 mês após a dose da vacina. Lactantes (quem está amamentando), podem se vacinar em qualquer idade do bebê.


Não existe tratamento específico contra o sarampo. O paciente deve ficar de repouso e isolado de outras crianças, ingerir bastante líquido, limpar os olhos com soro fisiológico em caso de conjuntivite e realizar lavagem nasal abundante. Em casos mais graves, há necessidade de internação hospitalar para medidas de suporte.
 

 

- Ministério da saúde (portalms.saude.gov.br)

- Sociedade Brasileira de Imunizações (sbim.org.br)