Atraso de Fala

Existe um mito muito difundido de que crianças com atraso de fala devem esperar até os 3 anos. “Para ver se ele vai falar” ou “Porque a Fono não tem muito o que fazer antes disso”. Mas isso não é verdade.
24 de Setembro de 2018

 

atraso de fala.jpg
 
Existe um mito muito difundido de que crianças com atraso de fala devem esperar até os 3 anos. “Para ver se ele vai falar” ou “Porque a Fono não tem muito o que fazer antes disso”. Mas isso não é verdade.
 
Uma vez identificado um atraso no desenvolvimento, ele deve ser avaliado e estimulado. Fonoaudiólogos podem estimular crianças de qualquer idade. E quanto mais precoce o início da terapia melhor a resposta e menor o impacto futuro para a criança.
 
De fato existem crianças com atraso na fala que evoluem muito bem mesmo sem ter feito nada. Só que é muito difícil identificar precocemente quais delas evoluirão bem sozinhas e quais não. Então para que correr o risco né?
 
Na dúvida confie nos seus instintos e leve a criança para uma avaliação. 
 
Alguns sinais de alerta do desenvolvimento da linguagem:
 
- Aos 6 meses: não sorri em resposta a um estímulo, não vocaliza (sons como aaaaa, eeee).
 
- Aos 9 meses: não olha nos olhos bem demonstra felicidade, não balbucia (agu, daaa).
 
- Aos 12 meses: não responde a palavras familiares ou ao próprio nome.
 
- Aos 18 meses: não fala pelo menos 6 palavras, não consegue entender comandos simples, não aponta.
 
- Aos 2 anos: os pais não conseguem compreender o que a criança fala, não combina palavras (exemplo: quer água).
 
- Aos 3 anos: não forma frases de pelo menos 3 palavras, estranhos não conseguem compreender o que a criança fala.
 
- Aos 4 anos: não faz perguntas, não obedece a comandos de 2 ou 3 partes (exemplo: vá até o seu quarto e pegue a bola). 
 
- Aos 5 anos: não consegue manter uma conversa simples, não consegue contar uma pequena história, fala ainda com muitas trocas de fonemas.
 
- Em qualquer idade: criança que regrediu ou estagnou na fala.

 

- Sociedade Brasileira de Pediatria

- Tratado de Pediatria. Nelson.